Uberaba empata com Nacional e conquista o título da Segundona

Uberaba empata com Nacional e conquista o título da Segundona

Uberaba empata com Nacional e conquista o título da Segundona

Por Wagner Ghizzoni Jr, correspondente do Portal em Uberaba
jornalreplay@gmail.com

É campeão! O título da Segundona Mineira é do Uberaba Sport Club. Neste sábado, na última rodada, o Colorado empatou com o Nacional, por 1 x 1, no Uberabão, e, com o resultado, assegurou o primeiro lugar do hexagonal final.

O gol do título veio nos acréscimos do segundo tempo, com Rudimar, de pênalti. Dalmo havia marcado para o Naça, que, mesmo se tivesse vencido, não ficaria com a segunda vaga para o Módulo II, já que o Formiga, que estava à frente na tabela, fez a parte dele, derrotou o Novo Esporte por 2 x 1 e também garantiu o acesso – que o USC já tinha carimbado na rodada anterior.

Uberaba e FEC terminam com 20 pontos cada. No saldo, o Zebu ficou com a liderança. O Naça sai de cena em 3º lugar, com 16 pontos. Acesse aqui a tabela e a classificação final da competição.

É CAMPEÃO. Uberaba vence Naça

Torcida do USC comemorou muito com os jogadores

O jogo – A decisão foi disputada sob forte calor. A torcida do USC, em maior número, bradava “o campeão voltou”. Do outro lado, o grito era “eu acredito”.

Os primeiros momentos foram de equilíbrio. O Colorado arriscava os chutes de fora da área, enquanto o rival apostava nos cruzamentos na área.

Em falha da defesa alvinegra, o Uberaba por muito pouco não abriu o placar. Rudimar cruzou rasteiro, mas nas costas de Pedro Paulo, que, com o gol aberto, passou da bola.

Quando o sistema de som anunciou gol do Formiga, a torcida vermelha não perdoou e logo gritou “eliminado”. A resposta veio com “Naça eu te amo!”. A festa estava bonita.

Só a vitória interessava, então, o Elefante tratou de atacar. Felipinho, em belo chute de esquerda de fora da área, exigiu grande defesa de Giulliano. E o goleiro voltou a salvar em finalização de Léo Porto.

Em meio à pressão, anunciado mais um gol do Formiga. Pouco depois, o alto-falante informou gol do Novo Esporte. Rudimar não queria saber do outro jogo e tentou o gol do título alvirrubro, mas parou duas vezes em ótimas defesas de Cleysson.

O fim do primeiro tempo foi quente. Pikachu entrou no lugar de Val. O lateral do USC, Lito, foi ouvir as instruções que o técnico do Naça, Léo Goiano, dava pra Dalmo. Foi o bastante pra começar uma confusão tremenda. Sobrou até cartão vermelho pra Rafinha, do Nacional, no banco. O jogo recomeçou e ainda houve tempo pra Pikachu, em chute cruzado rasteiro, fazer Giulliano se esticar e buscar no cantinho.

Veio o segundo tempo. Fayllon, de falta, dá trabalho a Cleysson. Depois, a torcida do Naça vibra. Seria gol do Novo Esporte. Era só fazer o gol aqui então. Mas, em campo, o Zebu é que quase marca. Elcarlos esbarra em Cleysson. Aos 20, Lucas erra, Pedro Augusto avança, Reginaldo tem que cometer falta. O zagueiro recebe o segundo amarelo e é expulso.

Cleysson volta a aparecer bem, agora em falta de Elcarlos. O Colorado se defende bem e o rival fica exposto aos contragolpes. Num deles, quase Guilherme marca.

O Elefante vai na base da raça. Marquinhos rouba a bola e passa pra Léo Mineiro, mas Giulliano chega um instante antes. Aos 28, gol. Da esperança. Lucas cruza da esquerda pra cabeçada certeira de Dalmo: Nacional 1 x 0.

Nas arquibancadas, dúvida. Os torcedores alvinegros agora sabem que na verdade o Novo Esporte não havia empatado com o Formiga – tanto que, apesar da comemoração da galera, não houve qualquer nota da cabine de som.

Pedro Augusto arrisca o voleio. O jogo vai chegando ao fim. No último lance, pênalti em Elcarlos. Rudimar bate, Cleysson vai na bola, mas ela passa por baixo do goleiro. O árbitro encerra a partida. Um belo clássico, no qual os dois times mereciam festejar.

A torcida do Nacional cumprimenta os jogadores pelo empenho. Já a torcida vermelha invade o campo para celebrar o título. Um merecido e inédito título – que ninguém no USC quer de novo.

Uberaba: Giulliano; Lito, Pedrão, André Alves, Henrique (Fayllon); Balduíno, Guilherme, Pixote (Chitão), Thiago; Rudimar e Pedro Augusto. Técnico: Wantuil Rodrigues.

Nacional: Cleysson; Felipinho, Reginaldo, Matheus, Lucas; Tôto, Val (Pikachu), Léo Mineiro, Marquinhos; Léo Porto (Luizinho) e Dalmo. Técnico: Léo Goiano.

Fotos: Wagner Júnior

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *